Tratamento de Hálitose

O que é e, quais as causas?

As causas são diversas mas, sabe-se que 80 a 90% dos casos tem origem bucal. A presença de bactérias que produzem moléculas (odorivetores) leves de compostos que exalam odor característico. Abrange mais de 40% da população até 40 anos. Nas populações acima de 55 anos atinge até 85%.


Causas de origem bucal

As bactérias presentes na cavidade bucal são capazes de produzirem são capazes de produzirem compostos com odor desagradável. Se a higiene oral for feita de forma incorreta, essas bactérias se proliferam e produzem grandes quantidades desses compostos, ocasionando o mau hálito. esses compostos tem em comum a presença do enxofre que, é o componente responsável pelo odor desagradável. Outra sítio que contribui de sobremaneira para a proliferação de bactérias anaeróbias é o dorso da língua. Nele podemos ter acúmulo de resíduos alimentares e células mortas, #desagradável. Além dos sítios dentais, outro sítio. possibilitando a formação de uma placa espessa esbranquiçada, denominada biofilme lingual ou, popularmente conhecida como saburra lingual. Esse meio propicia a formação dos compostos sulfurados. As doenças na gengiva, gengivite e periodontite, são causadas, geralmente, por bactérias e, logo, tem a higiene oral como um dos fatores que contribuem para a instalação da doença.


Outras causas.

A amígdalas com má formação apresentam reentrâncias que propiciam a formação de cáseos amigdalianos que, produzem gases mal cheirosos.


Causas de origem nas vias aéreas.

Pacientes portadores de diabetes, depressão, problemas pulmonares, de intestino e de rins, fumantes, com deficiência de vitamina A e D, ou mesmo pouca salivação contribuem para o desenvolvimento da halitose. Alguns medicamentos que tratam de depressão, emagrecimento, hipertensão e diabetes contribuem para alterações na quantidade e qualidade da saliva e, logo, para a halitose.


Como se diagnosticar?

O diagnóstico é feito a partir do exame de halimetria realizado pelo aparelho Oralchroma que, mensura os compostos sulfurados voláteis, separando-os e determinando suas concentrações. Aliado a uma criteriosa anamnese podemos diagnosticar a sua origem na totalidade dos casos.


Como se trata?

Através de procedimentos técnicos, medicação apropriada e uma ação eficiente e eficaz de educação em saúde.